• Sente dores frequentes nas solas dos pés? Pode ser fascite plantar

    Sente dores frequentes nas solas dos pés? Pode ser fascite plantar

    á sentiu uma dor forte ou uma fisgada na sola do pé? Esse é o sintoma característico de quem tem fascite plantar, uma inflamação que impossibilita muitas pessoas de praticar esportes ou até fazer caminhadas. Será que é o seu caso? Quais são as causas e tratamentos?

    O Dr. Alexandre Stivanin, ortopedista membro da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (SBOT) e do Hospital Samaritano, conversou com o Fortíssima e respondeu algumas das perguntas mais comuns sobre esse problema.

    Fortíssima: O que é fascite plantar? 

    Dr. Alexandre Stivanin: A fascite plantar é a inflamação de uma região fibrosa da sola do pé chamada “fáscia plantar”. O distúrbio pode ser desenvolvido por conta de pisadas inadequadas e tensão muscular. Pessoas que estão na faixa dos 40 a 60 anos estão mais propensas a desenvolvê-lo.

    Quais são os principais sintomas?

    Os principais sintomas são as dores na região da planta do pé, principalmente ao esticá-lo, além de dor crônica do lado de dentro do pé quando a pessoa anda excessivamente ou caminha usando sapatos retos, sem amortecimento.

     Alongamento e gelo ajudam a reduzir a dor na sola do pé

    Como é feito o diagnóstico da fascite plantar?

    O diagnóstico de fascite plantar é feito através do exame físico, em que o médico apalpa a região em que a pessoa sente mais dores, e por exames de imagem que podem ajudar a detectar o distúrbio com mais precisão, como ultrassonografia e, em alguns casos, a ressonância magnética.

    O problema tem cura? 

    O tratamento é feito usualmente com a indicação de anti-inflamatórios. Em casos mais acentuados, indicamos fisioterapia, a alteração do tipo de calçado por alguns períodos e bastante alongamento na fáscia plantar do pé.

    Qual é a diferença entre esporão e fascite plantar?

    O esporão calcâneo é uma protuberância óssea que causa dor durante o impacto do pé com o solo. O incômodo sentido por quem tem esse problema é na parte posterior do pé, ou seja, na região do calcanhar. Muitas vezes o paciente chega ao consultório com fascite plantar e acha que é um esporão, mas a dor do esporão é na parte de trás, enquanto a fascite pode acometer toda a planta do pé.

    Existem pessoas mais propensas a desenvolver fascite plantar? 

    Os fatores de risco são obesidade, sobrecarga da região do pé (que pode ser provocada por treinos de muito impacto em que você usa muito o amortecimento dos pés), mudança brusca de sapatos (se você sempre usa salto alto e fica um período usando chinelos, por exemplo), e pessoas que ficam muito tempo em pé no trabalho e aqueles que têm uma predisposição a apresentar uma maior curvatura do pé, ou seja, um um arco plantar aumentado.

    A partir da fascite plantar, podem surgir outras complicações?

    Se for crônica, a fascite plantar pode levar a uma destruição dessa fáscia e a um consequente “desabamento” dessa parte da arquitetura do pé. Ou seja, a pessoa fica com o pé “chato”, o que lhe causará dor persistente. A complicação vai exigir muita fisioterapia e alongamento por parte do paciente.

    Pisada pronada: saiba quais os cuidados e como evitar lesões

    Como prevenir a fascite plantar? 

    Para prevenir o distúrbio é preciso controlar o peso, evitar ficar horas em pé na mesma posição e, caso faça alguma atividade física de grande impacto, tentar alternar o treino com outros tipos de exercícios, como corrida, natação ou bicicleta.

    FONTE: https://fortissima.com.br/2019/08/19/fascite-plantar-14834600/

    Por Francine Costanti 19/08/2019

    Leave a reply →